Círculo de debates: 23 de agosto de 2008

Diversidade na diversidade: mulheres, (homo)sexualidades e produção de diferenças em São Paulo

com Regina Facchini

O CORSA promove no próximo dia 23, sábado, às 17h, uma conversa conduzida por Regina Facchini, cujo tema será: "Diversidade na diversidade: mulheres, (homo)sexualidades e produção de diferenças em São Paulo". Lésbicas, lesbian chics, dykes, sapas, sapatões, entendidas, bis, homens trans, abacates, moranguinhos, bofinhos, ladynhas, mulheres gays, homossexuais femininas e mulheres que curtem mulheres estarão em foco para ajudar a pensar em diversidade, mas também em desigualdades e na luta por um mundo melhor. Esta será a segunda edição dos Círculos de Debates, atividade mensal aberta ao público cujo objetivo é discutir questões relevantes para o movimento LGBT, aliando a visão teórica à necessidade de posicionamento e ação política.

flickr:2707390465

Regina Facchini é antropóloga (Mestre em Antropologia Social e Doutora de Ciências Sociais pela Unicamp), autora de Sopa de Letrinhas? Movimento homossexual e produção de identidades coletivas nos anos 90 (dissertação de mestrado defendida em 2002 e publicada pela Editora Garamond em 2005) e de Entre umas e outras: mulheres, (homo)sexualidades e diferenças na cidade de São Paulo, tese de doutorado defendida em 2008 (veja resumo abaixo). É também co-autora de pesquisas sobre perfil sócio-político e de vitimização homofóbica nas Paradas de 2005 e 2006 em São Paulo; do Dossiê Saúde das Mulheres Lésbicas (Rede Feminista de Saúde, 2006); e do livro "Na trilha do arco-íris: do movimento homossexual ao LGBT" a ser lançado, em breve, pela Editora Fundação Perseu Abramo.


A seguir, leia o resumo da tese de doutorado de Regina, defendida na UNICAMP em 23 de junho de 2008

A presente tese é um estudo sobre mulheres que se relacionam afetivo e/ou sexualmente com mulheres, realizado a partir da cidade de São Paulo. O foco analítico recai sobre as relações que se estabelecem entre práticas eróticas, identidades, corporalidades e convenções sociais acerca de gênero e sexualidade, enfatizando a intersecção entre diversos eixos de diferenciação social. A pesquisa em campo foi conduzida de modo a obter a maior diversidade possível em termos de classe, geração, raça/cor e trajetórias e identidades afetivo-sexuais. Para tanto, realizou-se observação etnográfica no circuito comercial de lazer paulistano freqüentado por essas mulheres e em espaços de sociabilidade privados, complementada por entrevistas em profundidade. A fim de diversificar os estilos e identidades acessados e evitar a associação de uma "comunidade" a espaços delimitados, realizou-se ainda observação e entrevistas com mulheres integrantes de duas redes: as jovens que se classificam como "minas do rock" e as freqüentadoras de um clube voltado para a prática do BDSM (bondage, disciplina, dominação e submissão, sadismo e masoquismo). Para além do diálogo teórico no interior dos estudos de gênero e sexualidade nas Ciências Sociais, este estudo procura oferecer subsídios para debates sobre as demandas por direitos humanos e por formulação de políticas públicas para sujeitos políticos específicos.


Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License